segunda-feira, 5 de julho de 2010

SER É A QUESTÃO


Momento cabotino. Achei tão bonito o texto que o Eduardo Araújo, do blog Revide, escreveu sobre o meu trabalho que o reproduzo aqui, com alguma vaidade rs.
"Letras que colidem sem nunca formar palavras, sem formar frases, sem dar o texto, e no entanto, tudo está lá. A tensão que comprime esse ó central, núcleo atômico para elétrons-letras a orbitar em seu eixo. Gosto desse 'redemunho rosiano', esse ó jocoso e erótico para qual tudo se converte. Gosto desse é-vermelho que soa bonito na palavra 'poeta', preterido acento agudo que ele pôs para fazer o verbo ser. Gosto desta hipótese de poesia que se concretiza na diversidade de tipos/fontes que se encontram e se atravessam, aglutinadas, vivas, pulsantes. É. Como coisa que se move, as potencialidades todas de dizer no caos das letras-fonemas inquietas a se movimentarem. Pop, preto no branco, divertido, instigante. É. Preciso que meus escritos façam juz ao quadro puzzle-poético do Luis Fabiano Teixeira".
Eduardo, tenho certeza de que esse quadro-poema ficará lindo em qualquer lugar que você escolha para ele. Volto já já. Abração a todos e que tenhamos uma semana poética!

4 comentários:

Paulo Braccini disse...

Belo e verdadeiro ... parabéns ao autor e vivas ao Luiz Fabiano ...

bjux

;-)

Athila Goyaz disse...

Bonita a homenagem! :)
Abraços!

Rute disse...

Parabéns pela homenagem!
Beijinhos a vc

Visão disse...

Tanto o que ele escreveu quanto o que vc escreve é digno e cativa aos leitores.