sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

NOTAS DE VIAGEM
























Já faz alguns dias que estou em solo baiano. Minha primeira parada foi em Salvador, onde eu, minha mãe e meu irmão desembarcamos sob um calor de 30 graus, mas a sensação térmica para nós que víemos de São Paulo era de 50. Já estive na cidade, há dez anos, mas dessa vez tem sido bem diferente, porque estamos “morando” temporariamente na capital baiana. Não sem alguns aborrecimentos, mas nada que nos tire o prazer de estarmos numa cidade muito especial, cheia de contrastes, porém com uma atmosfera bem peculiar.


A Festa de Iemanjá era a mais comentada, quando chegamos, porque funciona como uma prévia do Carnaval. Dois dias antes, 31 de janeiro, estivemos no Rio Vermelho, palco da festa, e os preparativos já estavam a todo vapor, contrariando o clichê de que o baiano é preguiçoso. Digamos que ele tenha um ritmo diferente, mais calmo, e que às vezes soa até como um charme. Nesse dia, as barracas estavam sendo montadas e os pescadores decorando os seus barcos. Fiz imagens lindas de lá. O céu continua com um azul impressionante. Meu irmão, que já viajou quase o mundo inteiro, me disse que nem na Grécia tem um céu assim. E eu acredito.


A Festa é emocionante, talvez as imagens que fiz ainda não captem a sua grandiosidade, mas, pelo menos, dá pra se ter uma vaga ideia. Mesmo para quem não é do candomblé como eu, vale muito a pena ir e participar como um turista diante de uma manifestação cultural de séculos de existência. O Rio Vermelho lota durante todo o dia e tem muita música, dança, vendedores de rosas, de lembrancinhas, banho de alfazema e, claro, a alegria inconfundível do povo baiano. Os gringos ficam loucos, não param de tirar fotos. Por falar nisso, tenho sido confundido invariavelmente com eles, o que levam os vendedores a inflacionar muitas coisas que pretendia levar na bagagem.


Um dos motivos da minha viagem foi também clicar Salvador e o modo de vida e de se relacionar dos soteropolitanos, a arquitetura, como se divertem, etc., por isso não descanso um segundo, faço os roteiros mais turísticos e os mais inusitados também, como uma parada na Feira de S. Joaquim, na Cidade Baixa. Essa feira é bem conhecida por vender toda sorte de produtos da terra e oferendas para os deuses africanos. Não sei exatamente o que aconteceu, mas passei mal lá, como se uma energia muito forte estivesse sugando as minhas forças. Não quero entrar na discussão da presença do sobrenaturaal, mas não queria deixar de comentar isso. O lugar também não me pareceu seguro. Aliás, Salvador é assim, há lugares maravilhosos, há lugares bem decepcionantes, sujos, perigosos, tenho sempre que estar muito atento. Mas também basta olhar o mar que já esqueço qualquer perrengue. Fui apenas à praia do Porto da Barra, mas também não me importo muito, porque praia já temos várias no Guarujá.


O Pelourinho continua sendo um dos lugares mais visitados, mas, desta vez, não vi muitos turistas, não. Talvez seja ainda reflexo da crise. Mas ainda é um passeio que recomendo, porque tudo ali fica perto, Elevador Lacerda, Igreja da Conceição da Praia, Mercado Modelo, Praça da Sé, um pouco mais à frente fica a famosa Praça Castro Alves... Dá pra fazer tudo a pé, num único dia. De preferência, à tarde, para dar tempo de pegar o pôr-do-sol no MAM, no Solar do Unhão, um dos museus mais lindos que já conheci. A restauração do solar foi feita pela arquiteta Lina Bo Bardi, a mesma que desenhou o MASP, em São Paulo. O acervo é pequeno, mas precioso, com destaque para figurões da fotografia baiana como Pierre Verger, Mario Cravo Neto, Christian Cravo e artistas plásticos locais como Iuri Sarmento. Toda a natureza cerca o solar e um passeio ali se torna inesquecível. Tem um café no subsolo delicioso, lá se pode também tomar um drinque no pier e ver os navios passando, ir até o jardim das esculturas, conhecer a história do museu, na Linha do Tempo, enfim, uma maravilha. Sem contar que os atendentes são atenciosos e simpáticos e o catálogo deles é de primeira, lindo mesmo.


Fui a duas baladas bem conhecidas, a OFF CLUB, na Barra, e outra assinada pela San Sebastian, no Rio Vermelho. Dizem que é a casa mais bombada do momento. O som começou péssimo, com Djs brigando e a pista morna, mas depois deu tudo certo e o DJ Tony Moran consertou o que parecia irreversível. Também só na Bahia para uma balada acontecer numa "livraria e pizzaria" e dá certo. Bem, no quesito música, eles arrasam mesmo, até uma bandinha de rua, bem simples, consegue fazer um som contagiante.


Vim para o interior recarregar as energias para o Carnaval, porque Salvador nesses dias é uma função só, mas, chegando a São Paulo, já respondo a todos e passo a seguir os blogs que faltam. Obrigadão a todos e que a força do sagrado ilumine as nossas vidas! Abração!

18 comentários:

Paulo Braccini disse...

cada clic um flash ... parodiando o bordão ... mas enfim ... estas notas fotográficas configuram bem toda a diversidade cultural de um povo ... e a sensibilidade de fotógrafo se fz presente em cada uma delas ... parabéns pelo bom gosto e por compartilhar um pouco de suas emoções e de sua criatividade artística ...

bjão Luis

;-)

Athila Goyaz disse...

O Tarantino possue os melhores diálogos osmelhores enquadramentos enfim heheheheheheh 96)

Vc se mudou pra Salvador? que chique! gostei das tuas fotos, eu até imagino vc com uma câmera enorme no peito , cheio de estilo, tirando essas fotos!

Nunca fui em Salvador, mas irei!

hehe
abraços!

Renato Orlandi disse...

Aaaaiaaaai, até esse texto tem um clima diferenteeee, rs. Deu vontade de conhecer a Bahia, quer dizer, eu já tinha, mas era uma curiosidade, pela beleza e talz, mas o fator calor sempre me impediu rs. Adorei as fotos, deve ser um clima muito bom mesmo, a calmaria das pessoas, do clima, o mar, até o sotaque. Aproveite bastante, conheça os lugares para nos contar e se proteja dessas energias heim!!! Com ctz tem alguem por aew mto preparado p te ajudar com isso se for o caso! Boa viaaaaaaajem! Bjo.

(L) disse...

PRIMO , é muito interessantee mesmo!

Rute disse...

Boas estadia na Bahia, essa cidade tem muitos lugares turísticos lindos!
Beijinhos a vc!

Jay e Alê disse...

Meu amigo,
Lindo isso aí né? Eu e Alê nos encantamos ao ficarmos alguns dias aí tb.
Vc foi perfeito nas fotos, sensibilidade de artista nos ajuda a perceber na diversidade o belo e a singeleza que a diferença pode nos apresentar.
Aproveite bem.
Bju com o carinho de sempre,
Nós dois.

Uber Expresso disse...

Que lindas fotos, que encanto... nossa vc deve ter sentido toda a energia de yemanjá, até eu senti pelas fotos... Que delícia te ler, parece que conheci um pouco desse espaço que ainda não conheço... Que vc seja muito iluminado!!! Beijos Roberta

Ausência Instável disse...

Opa, nao se conhecemos, mas já pode fazer uma festona com os blogferas heim rsrs ...
Brincadeira, Salvador é uma cidade que quero ter a oportunidade de conhecer e é claro ficar nas belas praias ...
Ohh lugar maravilhoso ....


Abração, e aproveita mesmo!

Ausência Instável disse...

Opa, nao se conhecemos, mas já pode fazer uma festona com os blogferas heim rsrs ...
Brincadeira, Salvador é uma cidade que quero ter a oportunidade de conhecer e é claro ficar nas belas praias ...
Ohh lugar maravilhoso ....


Abração, e aproveita mesmo!

André disse...

Olá moço

Cultura brasileira, tão rica, fruto da miscigenação, uma pena que mais pessoas não dêem o devido valor. Lindas fotos, de muito bom gosto e escrevendo com muita propriedade, característica dos seus textos e reflexões.

Abração

Larita disse...

Little Sheeep =D
Ameeei todas as fotoooooos! Mas, minha favorita foi a das roupas no varal *-*

Sua viagem deve ter sido incrível :) e, mesmo sem ir, lendo as coisas que você escreve, é como se eu estivesse por lá tbm :)
Incrível como você sabe aproveitar tudo!!

Saudadeees!
♥!

beijoo

Silvana Nunes .'. disse...

Lindo. maravilhoso o seu post. Lindas fotos.
Os questionamentos não podem nunca sumir da nossa mente.
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... deseja um bom carnaval.
Beijo grande.
Saudações Florestais !

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Fala, Lu!

Saudades de vir aqui. Foi bom saber de tua viagem ao solo baiano, raízes de tua gente. As fotos refletem a poesia dessa terra. Há cor e há sinal de gente em tudo. Isso me fascina.

Quanto ao calor, nem comentarei. O Rio de Janeiro ultrapassou o calor do Deserto do Saara, apontou a matéria científica do portal G1. Ontem, 43,9ºC (nem mencionarei a sensação térmica que é pra você não considerar hiperbólico de minha parte!).

Aproveite os dias! Abração daqueles refestelados, caju!

===

José disse...

Fabiano,

Muito bom seu texto, Você consegue passar nele como tudo realmente é em Salvador, sem mascaras. Quando estava lendo, parecia que eu estava vendo cada local, que você retratou. Eu nasci em Salvador e já tenho 24 anos aqui. Ao ler seu texto muito rico de informações e detalhes, acabei conhecendo e sabendo coisas que nem eu natural sabia.

Um forte abraço, seja bem vindo a Salvador, ou melhor a Bahia, pois temos lugares lindos aqui, não só Salvador, mas outras cidades que você ainda precisa conhecer.

(Você falou em cidade baixa, você precisa conhecer a festa de São João que tem em um trem por lá, é muito organizado e diferente hahahha)

José Silva.

Edilson disse...

Querido Luis:

Parabéns pelo blog, pelas lindas fotos, por suas impressões tão reais que nos fez viajar com você a cada linha escrita. Lindo texto, espero tua visita no Lua ok?
www.lua2gatos.blogpsot.com
Abraço grande.

Reflexo d Alma disse...

Ei...
passando pra te ler como sempre.
Bjins entre sonhos e delírios

Richard Mathenhauer disse...

Olha, nem vou falar sobre seu texto (digo só que é um bom diário de bordo!). Quero falar das fotos, especialmente as que o mar aparecem, porque embora Eu seja arredio ao sol, devo ter cá dentro de mim um coração lusitano que ama o mar...

Muito boas as imagens!

Richard Mathenhauer disse...

...
Voltando pra olhar mais as fotos:
Eu penso no Ganges vendo tanto fé e tanta proximidade com a água (do mar) nas bahianas, nos banhistas, naqueles que formam uma fila para o mergulho...

Abraços