domingo, 14 de fevereiro de 2010

MILAGRES DO POVO BAIANO






















Continuo em Salvador, em pleno carnaval baiano, por isso resolvi postar rapidinho mais algumas notas de viagem, antes que as notícias se tornem datadas demais. Não deve ser difícil imaginar que por aqui a folia não para. A cidade está repleta de turistas e esse volume de gente, ao mesmo tempo em que encanta, também causa muitos transtornos. Se locomover nesses dias, por exemplo, requer uma dose extra de paciência. O trânsito de Salvador, que já é caótico, fica insuportável, os supermercados cheios, as praias bem mais concorridas, enfim, uma bagunça, mas também não é nada fora do que qualquer pessoa inteligente já imaginasse, afinal é uma mega festa ao ar livre. Surpresa mesmo foi sair, ontem, no trio da Daniela Mercury, pois nunca tinha tido essa experiência. Comprei uma máscara azul linda (para estar de acordo com o tema proposto por ela) e coloquei o meu bloco na rua. Não fui o percurso inteiro porque não dava mesmo, é muito empurra-empurra, rola de vez em quando umas brigas e a polícia daqui é naturalmente truculenta. Melhor não se arriscar. Mas o som estava excelente, é um show mesmo, tinha até uma mini orquestra. Os puristas devem ter ficado de cabelo em pé, mas eu adorei. Só estranhei um pouco esse apartheid em relação às cordas, aos camarotes, porque o folião menos abastado tem que se aglomerar numa extensão de calçada mínima, se não quiser ficar na faixa de areia da praia. Consultei algumas pessoas aqui e elas acham isso muito natural, um mal necessário. Também não entendi porque o Ministério da Cultura patrocina o trio de Ivete Sangalo, sendo que ela é uma cantora que se vende sozinha, como se diz no jargão corporativo. Coisas da indústria do Axé. Por falar em Ivete, abro aqui um parênteses para falar da rixa entre as divas baianas. Elas mesmas não assumem e nem desmentem a concorrência acirrada, mas são os fãs que colocam lenha na fogueira. Se um ficar perto do outro pode até sair briga. Ganha o folião, claro, porque cada uma se esmera para estar melhor no circuito.

Existe uma atmosfera sexual pulsante na cidade, talvez pela forte presença africana aqui, muito bem resumida naquele verso de "Milagres do Povo", de Caetano Veloso: “É pura dança, sexo e glória”. É difícil explicar com palavras, mas é notória, em cada canto da cidade, essa energia que impulsiona o desejo. E tem o fator ousadia baiana que não podemos esquecer. A sensação entre os jovens, por exemplo, é um grupo chamado Psirico, cujas músicas tem um forte apelo erótico e todos, homens e mulheres, literalmente rebolam quando eles passam. Não é à toa que a música mais comentada, até o momento, é "Rebolation". Nem é preciso dizer também que os gringos ficam alucinados com isso, né? No prédio onde estou hospedado, tem argentino, americano, mexicano... E vamos nos conhecendo, misturando sotaques, é muito gostoso. O mais bacana é que essa Torre de Babel consegue se entender apenas pela magia da música.

Antes da maratona carnavalesca começar, fui ao Recôncavo, onde mora boa parte dos meus parentes. Lá, as cidades são tão pequenas, charmosas e o tempo parece até correr mais devagar. Foi ótimo mudar de ares porque pude revê-los, ficar na casa da minha avó, com direito a todos os mimos e carinhos, o clima também é mais ameno, as pessoas são muito generosas... Sem contar os personagens pitorescos que existem, como a Dona Feliz, que fica sempre na sua janela acompanhando o movimento da rua, o Ligeirinho que abordei levando um buquê de flores para o Forum, um rapaz, que todos julgam louco, e que passa o dia puxando um carrinho de brinquedo... Em muitos momentos, me senti dentro de uma crônica da Cecília Meireles. Foi bacana também sair com os meus primos menores, meus tios, ir a sítios, enfim, programas bem simples, mas que nos deixam com o coração aquecido.

Sempre quis conhecer Dona Canô, 102 anos, mãe dos cantores Caetano Veloso e Maria Bethânia, de quem sou fã, por isso não perdi a oportunidade de ir a Santo Amaro para vê-la. Os detalhes desse encontro ficam para um próximo post, porque foi tão rico e mágico e emocionante que poderia se perder numa simples nota de viagem, mas, se eu viesse a Bahia só por essa razão, já teria valido a pena. Bem, vou ficando por aqui. Da janela já vejo os trios descendo a Av. Sete de Setembro, é sinal de que vai começar tudo outra vez. Vou tentar recuperar o meu fôlego, tomar uma água de coco e aproveitar o reinado de momo. Talvez role o After da Rainha, bem mais tarde, porque aqui todos os ritmos se encontram e todas as pessoas se entendem. Incrivelmente. Beijos carnavalescos!

18 comentários:

Clenio disse...

Bah, Luis Fabiano, me senti na Bahia ao ler teu texto. Fluente, bem escrito, instrutivo... Até me deu vontade de conhecer hehe
Não vejo a hora de ler seu post sobre dona Canô, essa verdadeira lenda baiana.
Um cheiro procê, meu rei...

Paulo Braccini disse...

Magnífica sequência fotográfica ... texto envolvente ... parabéns ...

bjux

;-)

Uber Expresso disse...

Nossa Fabiano, que fotos lindas... e o texto perfeito... fico aguardando o próximo post, conhecer dona Canô deve ser uma benção, essa senhora tem uma áurea que de longe dá para ver a luz dessa pessoa... que coisa bela... não conheço nada daí, mas seu escrito é tão lindo que rapidamente sou envolvida por essa energia que contagia... Beijos Roberta

Arthur Alter L. disse...

Luis,
Em cada foto e no seu belíssimo texto eu fiz essa viagem com vc.
Incrivelmente bem sintetizado em seu gosto e sutileza nas fotos e na forma como escreveu. Não vou tecer um comentário maior, não faz diferença e vc acertou ao dizer que tudo aí tem um q de uma dança sexual. Tudo aí é bem afrodisíaco.
Um grande abraço camarada.

Rafael Lopes disse...

É, para a Bahia você vai neh. Agora para Birigui, nem sonhando, rssss.

Divirta-se muito ae, e aproveite.

Abraço

Fernanda disse...

Ótimas fotos meu amigo! E o texto? Amei viu! Ta ai mais um talento seu! Vou te indicar para viajar o mundo e traduzir pra gente em palavras um pouquinho de cada lugar que vc passar!
Beijos com saudades.

Renato Orlandi disse...

oi. Adoreeei as fotos! E o texto tb, nossa, deve ser mágico mesmo! Mal posso esperar para saber mais!!! nhaaaa, aproveite o vibe rs :O abçç!

Silvana Nunes .'. disse...

Lindas as fotos;
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... deseja um Bom dia.

Paulo Henrique de Moura disse...

Mãe Canô! Não acredito! Que vontade que deu...

Mulheres de Atenas disse...

Quanta sensibilidade! Parabéns pelas fotos! Belíssimas! Aproveite a estadia!
Lily Braun

Athila Goyaz disse...

Muito boas as suas fotos, o carnaval daí devia estar fervendo mesmo.
Adoro cidades pequenas, realmente encontramos muitos personagens que dariam um bom livro.
Pediu a bença a D. Canô?


abraços!

Jay e Alê disse...

Oi amigo saudade de vc.
Lindas as fotos e olhar do artista foi traduzindo nas imagens as falas que não passam pela mente do autor, imagens que falam por si só. Tudo na Bahia com certeza é lindo mesmo, não tive a oportunidade de ir aí no carnaval e minha condição física nem me permite estar aí num tempo de muito tumulto mas foi lindo eu ter podido passear por ai 6 dias ano passado.
Bju nosso com carinho de sempre.
Jay

Lorenço disse...

muito lindas e fabulosas as imagens
a Bahia deve ser realmente encantadora!!!!!!
quero conhecer um dia

Eduardo Araújo disse...

Belo, belas. Um dia rumo para Santo Amaro. Mas antes, quero Cordisburgo, os sertões de Rosa.

Jeito bonito de escrever, sem acidentes, mas talvez... De todo modo, comparecendo aqui e gostando.

Anônimo disse...

Luis,
Que fotos lindas!!!
Vc tem um magnífico olhar fotográfico!!

.... e Salvador realmente tem algo de especial que a gente sente mas não consegue nominar. A mistura de religiosidade e sexo à flor da pele chega a ser desconsertante....

Obrigado por compartilhar conosco!

GB
(Gilson Bicudo)

Larita disse...

Fotos perfeitaaas de novo!! =D
a segunda me encantou *-*

E como sempre, ler o q vc escreve é pegar carona na sua viagem! ^^

Fiquei mto feliz q conheceu a mamãe do Caetano Veloso =D é bom qdo realizamos um desejo nosso ^^ e q fofa, 102 anos, não é fraca não ^^
- agora falta o post do encontro ;D



Beijoooos

Cleyton Cabral disse...

Belos cliques. Abraço.

RAFAEL disse...

Eu disse que voltaria pra fuçar, e cá estou...Luis, gosto da forma como escreve. Além de um portugues correto, sem abreviaturas, girias e sem cacoetes tão comuns na internt, sua narrativa prende.

Não sou uma pessoa que cultiva idolos. Talvez se visse Claudia leite pessoalemtne, eu não a cumprimentaria, Ivete Sangalo, diria um oi...mas Dona Canô, essa sim, eu sentaria do lado, seguraria sua mão calejada, magrinha, e ficaria assim, só desfrutando da cia. Pessoas como ela transbordam paz.

Privilégio seu tê-la conhecido.

abração