quarta-feira, 5 de agosto de 2009

POPCORN CHEGOU!






Enfim, POPCORN nasceu. Cinco meses depois, estou aqui para falar da experiência única que é a realização de um sonho como esse. Quando imaginei essa exposição, e vocês acompanharam esse processo desde o início, por aqui, pensei que ela fosse agradar porque era muito leve, divertida, um refresco para os olhos, nesses tempos bicudos de crise financeira, gripe suína e por aí vai, mas não queria fazer maiores previsões, mesmo porque estou apenas começando. E, depois, quem trabalha com arte, seja qual for, sabe que tudo pode acontecer, de se perder pelo caminho até a chegada gloriosa ao paraíso. Mas, presenciando a reação das pessoas, ontem, ouvindo as palavras de carinho, captando aquela atmosfera de arte como doação mesmo, é muito diferente, é bem melhor.

A montagem da exposição não foi tão fácil, consumiu um pouco da minha energia e do meu bom humor, mas estou numa fase em que nada me tira do sério por muito tempo. Segui da Piola direto para a rádio Litoral FM, em São Vicente, era o último compromisso de divulgação, antes da abertura. De ouvinte do 4 Ases e 1 Coringa (programa que recomendo, vai ao ar toda segunda às 19h:00, reprisa às terças, à meia noite), passei a ser um dos convidados e, confesso, é uma das experiências mais estranhas e divertidas que já vivi. Embora cansado, um pouco aéreo, falei do meu processo criativo, do meu trabalho como autor teatral, fiz agradecimentos gerais, mas o tempo inteiro observando, tentando entender aquele mecanismo, muitas vezes, até imaginando se uma radionovela da Janete Clair teria ido ao ar daquela mesma forma. E tem outra, falou besteira, já era. Devo ter falado algumas rs. Sorry.

Na volta pra casa, fiquei perambulando pela praia. Uma sensação de liberdade, de alívio, mas também uma pontinha de tristeza. Os quadros ganhariam outros olhares, seriam atrativos para outras pessoas, eu já não estaria por perto para uma pincelada de socorro, caso alguém espirrasse molho de tomate neles. Ninguém pra me ouvir. Oh, vida! Quem me entenderia também? O meu quarto vazio, apenas restos da bagunça do dia anterior. Tive vontade de chorar. Acordei, às cinco da manhã, enviei um e-mail pra um amigo artista plástico, mas só me acalmei com o telefonema dele, horas depois.

A abertura passou voando. Tive que me dividir bastante, mas ninguém se chateou, ninguém fez cara feia, ninguém deu vexame, foram só sorrisos. Vieram amigos de São Paulo, familiares do Guarujá, amigos da faculdade, professoras do colégio, pessoas que eu conhecia só de vista ou de ouvir falar... Fiquei muito emocionado ao receber os cumprimentos do maestro Gilberto Mendes, do querido jornalista e escritor Lucius de Mello, cuja biografia da Eny foi escrita por ele e que eu adoro, do Paulo von Poser que me deu tanta força, desde o início, do escritor e crítico literário Flávio Viegas Amoreira, que escreveu um texto lindo sobre mim e que está no perfil do blog e do Toninho Dantas, do Curta Santos, que deu um rasante, mas não deixou de conferir. Muito obrigado a todos pelo carinho e pelo respeito ao meu trabalho. Sem contar os telefonemas que recebi, durante o dia, os e-mails carinhosos, depoimentos no Orkut, etc.

No dia seguinte, ainda gravei uma pequena participação no Programa JB, da TV Santa Cecília. É um programa tipo Amaury Jr. O João Bernardo é um querido, foi um dos primeiros incentivadores do meu trabalho aqui no litoral, uma das pessoas também que me sugeriram fazer uma exposição em Santos. Descobri com a experiência da TV que não quero ser pop, dá muito trabalho rs. É sério, não quero bancar o “famosinho”, mas estou cada vez mais convencido de que não basta apenas a sua arte, leva-se em conta também a imagem do artista, isso é bastante controverso, mas é assunto para um outro post. Aproveito, então, para agradecer também ao Eduardo Caldeira, da Piola-Santos, a mídia local que cobriu muito bem o evento, aos colunistas que leram o release, que deram notinhas amigas, enfim, a todos que batalharam junto comigo para que a abertura ficasse bem cool e fosse um sucesso. Obrigado mesmo.

Agora é continuar trabalhando e tentar levar POPCORN, para outros lugares. Vou ficando por aqui, deixo vocês com o videozinho da abertura. Nos próximos dias, tenho muitos blogs pra visitar, tempo pra twittar mais, enfim, ficar mais na net que eu já estava com saudades. Abração!

4 comentários:

Paulo Henrique de Moura disse...

Poxa Luiz queria ter ido!
Vi o videozinho e deu vontade!
Tive que voltar a SC por causa de compromissos...
Fico contente que tenha dado tudo certo! Você merece pois o seu trabalho é muito bom! Espero poder conferir pessoalmente qualquer dia.
Então, to chateado por não ter ido ao lançamento do Santiago também. Ele foi super atencioso, mandou convite e tudo e eu não apareci.
É a vida...
Então, é isso..
Super abraço e muito sucesso para você!

Fernanda disse...

Amigo, sua exposição trouxe alegria para meus olhos!
Parabéns pelo sucesso! Que Deus continue te abençoando e abra as portas para muitas coisas boas que ainda estão por vir!

berenicekalildoria disse...

Luis Fabiano meu anjo,que delicia fazer esse passeio em seu Blog, o Hélinho não exagerou quando disse que eu adoraria, esta de parabéns lindo, quero essa exposição ainda esse ano em Campos, e Guaratinguetá,o que me diz? você é unico querido e vamos fazer bons negócios acredite. beijos
Berê Kalil

railer disse...

uau, muito bacana! parabéns pelo trabalho!