quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

O LUTO COMO ESPETACULO



Que final de semana, hein? Estava em casa, um frio tenebroso, acordei no meio da madrugada e, de repente, leio a noticia na internet sobre a morte da cantora Witney Houston, aos 48 anos. Eu e meus amigos ate ficamos um pouco abalados, mais pelo fato de ser uma morte precosse do que exatamente uma surpresa, afinal ha mais de uma decada ela vinha se decompondo em publico, por causa da sua estreita relacao com as drogas. Assim como foi na morte da Cassia Eller, do Michael Jackson e da Amy Whinehouse, e comum a gente se questionar sobre as razoes que levaram um artista tao bem-sucedido a passar pro outro lado de forma tao tragica. Tinha tanto talento, dinheiro, fama, era linda, uma voz magnifica, por que?, por que? Eu acho que so mesmo um popstar pra responder isso, mas e evidente que em casos assim, de alguem que passou anos colecionando premios, sempre no topo das paradas, o fato de nao emplacar mais hits, nao ser mais o centro das atencoes, tudo isso deve criar um monstro dentro da propria pessoa, deve pesar muito. Apenas uma especulacao. Sem contar essa pressao louca que existe hoje em dia de acertar, de estar na midia o tempo todo, de querer ser menos um na multidao... Muito complicado. Se o artista nao tiver algum preparo emocional, o popular “amor a propria vida”, cai  em varias tentacoes mesmo, facil facil.
Apesar de nao ser assim fa declarado da cantora, mas sendo o ultimo dos romanticos, na minha adolescencia assisti muitas vezes ao Guarda Costas e ate engrossei o coro daqueles que achavam esse filme o maximo. Arroubos romanticos da adolescencia, claro.  Na verdade, eu sempre admirei mais o poder da voz da Whitney Houston do que propriamente as letras acucaradas das suas cancoes. Tenho duas passagens interessantes em que ela esteve presente. A primeira, ainda na adolescencia, quando inventei de fazer um musical no colegio para homenagear o centenario do cinema e tive a ideia de chamar uma colega de classe para dublar a cantora, numa cena do Guarda Costas. Bem, a garota nao so comprou a ideia como tambem se esforcou para aprender a letra em ingles e a apresentacao foi um sucesso, com direito a beijo na boca e tudo. Um beijo nada tecnico, diga-se de passagem.  Nessa mesma epoca, tinhamos em casa uma fita de video (lembram a febre do videocassete?) de uma apresentacao da cantora num navio, se nao me engano para marinheiros americanos, onde ela cantava o hino nacional dos Estados Unidos de forma espetacular. Sempre assistiamos a esse video. A outra passagem ja foi na sua fase mais dark, eu estava num onibus indo para o Guaruja e me caiu as maos um jornal da Igreja Universal do Reino de Deus, onde li uma nota sensacionalista ao seu respeito, ilustrada por uma foto dela quase irreconhecivel. Segundo a publicacao, devido ao uso do crack e outros demonios. Roguei uma prece para que ela recuperasse logo o tempo perdido e so fui reve-la, em 2009, naquela famosa entrevista a Oprah, onde se acreditava ser, realmente, a retomada da sua carreira.
Fiquei acompanhando a cobertura da morte pela midia e redes sociais e, ai sim, fiquei assustado. Com excecao do Estadao que cobriu de forma precisa, os outros meios ficaram entre “fomos pegos de surpresa e agora?” e “vamos encher linguica”. Na GloboNews, por exemplo, vi uma serie de deslizes: o primeiro a comentar foi o cantor Gabriel O Pensador (que ate onde eu sei nunca foi um profundo conhecedor de musica pop), depois entrou um Ed Motta totalmente perdido “Ah e?, nao sabia” e para finalizar um Zeca Camargo totalmente deslumbrado com o assunto. Acho uma pena veiculos de comunicacao e/ou artistas tao serios transformarem um luto, por mais que seja de uma figura publica, em espetaculo. Nesse quesito, quem acertou mesmo foi o musico Joao Marcelo Boscolli que fez comentarios interessantes sobre a carreira da cantora, ressaltando o DNA artistico dela e o legado musical que ela deixa para as novas geracoes. Destaco tambem as impressoes da jornalista Lucia Guimaraes sobre a morte, direto de Nova York e a agilidade do site TMZ, mais uma vez. Como eles conseguem aquelas imagens e informacoes tao depressa? So. O Facebook mesmo virou um samba do crioulo doido, video pra tudo quanto e lado, piadas sem graca perdidas no meio de varios comentarios mornos, apenas um oba oba no calor da emocao. O assunto pra mim tambem ja se esgotou. Foi uma perda previsivel, mas nem por isso menos triste. Que agora a cantora, enfim, descanse em paz.

2 comentários:

Larita Pantoja disse...

Uma voz belíssima que fará falta.
"Foi uma perda previsivel, mas nao por isso menos triste."

mEu munDinHo LoUcO disse...

Olá,Querido:
Dedico um selinho do meu bloguinho para você com muito carinho...:)
Segue o link: http://meumundinholouco.blogspot.com/2012/02/do-meu-mundinho-louco-para-voce.html
Beijos, Elaine